Configuração de resolução em um segundo monitor

Cenário de aplicação do exemplo

Um notebook com Linux Mint 19, usando um segundo monitor Samsung SyncMaster 933.

Problema

Ao conectar um segundo monitor ao notebook,  a resolução máxima suportada é 1024×768 60.00Hz.

Solução

1- execute o comando xrandr e procure pelo monitor auxiliar. A saída será parecida com essa:

VGA-1 connected 1368x768+0+0 (normal left inverted right x axis y axis) 0mm x 0mm
   1024x768      60.00  
   800x600       60.32    56.25  
   848x480       60.00  

No meu caso o monitor é o VGA-1.

2- Criando um novo perfil para o segundo monitor:

xrandr --newmode "1366x768_60.00"   85.25  1368 1440 1576 1784  768 771 781 798 -hsync +vsync

Eu sei que o meu monitor suporta a resolução de 1366×768 a 60Hz, se você não souber o seu leia esse post na parte que fala de cvt.

3- Atribuindo o novo perfil:

xrandr --addmode VGA-1 1366x768_60.00

4- Ativando

xrandr --output VGA-1 --mode 1366x768_60.00

Nesse ponto você também pode ativar pela interface gráfica do S.O. Se o monitor em questão for um que você frequentemente usa, toda vez que ligar o PC terá que executar os comandos acima. Para automatizar esse processo você pode no final do arquivo /home/SEU-USER/.profile adicionar o scritp abaixo:

###### CONFIGURAÇÃO DE MONITOR AUXILIAR ######

# Se você usa notebook com um segundo monitor, a verificação abaixo junto com o IF do final é necessário para evitar um  erro caso o notebook seja ligado sem o monitor estar conectado.

##verifico se o monitor está conectado
monitor=$(xrandr | grep -o 'VGA-1 connected')

#crio o perfil do monitor
xrandr --newmode "1366x768_60.00"   85.25  1368 1440 1576 1784  768 771 781 798 -hsync +vsync
xrandr --addmode VGA-1 1366x768_60.00

# condição para ativar o perfil, caso o monitor esteja conectado
if [ $monitor ]; then
    xrandr --output VGA-1 --mode 1366x768_60.00
fi

Referências:

Como conectar em uma rede wireless pela linha de comando no linux

A ferramenta para conectar varia conforme o tipo de criptografia utilizada no processo de autenticação:

Para somente o tipo WEP use o iw
Para os tipos WEP, WPA and WPA2 use o wpasupplicant

Instalação e configuração utilizando iw

Instalação da ferramenta

apt-get install iw

Exibir placa de rede wireless do computador

iwconfig

Listar as redes wifi captadas pela placa wireless

iwlist scan
ou
iwlist <sua interface wireless> scan

Conectar da rede wi-fi

iwconfig wlan0 essid <NOME-DA-REDE> mode managed

Caso precise obter IP utilize o DHCLIENT

dhclient -v <sua-interface-wi-fi>

Instalação e configuração utilizando wpasupplicant

Instalação da ferramenta

apt-get install wpasupplicant

Arquivo de configuração. Se ele não estiver criado, você deve criar

/etc/wpa_supplicant.conf

Configuração:

network={
    ssid="ssid_name"
    psk="password"
}

Assumindo que a sua interface é wlan0:

wpa_supplicant -B -i wlan0 -c /etc/wpa_supplicant.conf -D wext

Caso precise obter IP utilize o DHCLIENT

dhclient -v <sua-interface-wi-fi>

Fontes

  1. https://sempreupdate.com.br/como-conectar-wifi-via-terminal-linux/
  2. https://askubuntu.com/questions/138472/how-do-i-connect-to-a-wpa-wifi-network-using-the-command-line

Como instalar o Postgre e pgAdmin no Linux (Ubuntu e derivados)

Passo a passo não muito detalhado da instalação do SGBD PostgreSQL 9.5 e a ferramenta gráfica da administração pgAdmin 4. Para mais informações leia a documentação do Postgresql e pgAdmin.

Adicionando o repositório do PostGreSQL para a versão Bionic (18.04) do Ubuntu:

– Crie o arquivo /etc/apt/sources.list.d/pgdg.list e adicione a linha abaixo:

deb http://apt.postgresql.org/pub/repos/apt/ bionic-pgdg main

– Importe a chave de assinatura do repositório e atualize as listas de pacotes

wget --quiet -O - https://www.postgresql.org/media/keys/ACCC4CF8.asc | sudo apt-key add -
sudo apt-get update

Instalando o PostgreSQL 12

– Execute a linha abaixo

sudo apt-get install postgresql-12

Instalando o pgAdmin 4

– Execute a linha abaixo

sudo apt-get install pgadmin4

Criando o banco de dados pelo terminal

Primeiro precisamos acessar o prompt de comando do usuário postgres. Este usuário foi criado automaticamente na instalação do PostgresSQL.

sudo su - postgres

– Para criar o banco de dados:

createdb bancoTeste

– Entrando no cliente de linha de comando do PostgreSQL e manipulando o BD criado:

psql -d bancoTeste

Nesse estágio você pode manipular o banco utilizando a linguagem SQL do Postgres.

– Atribuindo uma senha o usuário postgres.

É importante destacar que esse senha é para o usuário postgres e não para o DB.

Ainda dentro do client de linha de comando do Postgre digite:

\password postgres

Ele vai pedir que você digite a nova senha duas vezes.

Para mais informações digite:

help

Acessando o pgAdmin 4

– Você pode pesquisar no menu de aplicativos do seu S.O por: pgadmin4

– Ou acessar pelo navegador a url  http://127.0.0.1:46245/browser/

– A partir do usuário postgres você consegue criar e logar nos bancos.

O servidor será iniciado e a partir daí é com você.

Referências

Resolvendo problema do Packet Tracer 7.1.1 no Linux Mint 18 e 19

Eu estava com muita dificuldade para fazer o Packet Tracer funcionar no meu Linux Mint. Depois de pesquisar bastante e rodar por vários sites, achei uma resposta dada no Ask Ubuntu e no Tech Otaku que me ajudaram a resolver o problema.

Vou aproveitar esse post para mostrar como resolvi meus problemas com o Packet Tracer no Linux Mint 18 e 19 (Sarah e Tara).

CONTEXTO

No Linux Mint 18 eu tinha problema com essa versão do Packet Tracer. Quando executava o comando # packettracer aparecia uma mensagem dizendo que o programa estava sendo carregado, mas nunca abria. Para resolver esse problema, bastava instalar o pacote que professor Samuel Henrique Bucke Brito indica nos comentários dessa publicação.

Já no Linux Mint 19 eu fiz o mesmo procedimento descrito anteriormente e mesmo assim não tive sucesso. Outros problemas surgiram, que só foram resolvidos seguindo outros tutoriais, principalmente a resposta dada pelo Lucas Almeida a essa pergunta.

MEU PROBLEMA

No Mint 19 o Packet Tracer chega abrir mas quando tento expandir a janela, o programa fica totalmente disforme.

AMBIENTE

S.O: Linux Mint 19 Cinnamon (Tara)

Kernel do Linux: 4.15.0-33-generic

Programa: Cisco Packet Tracer 7.1.1

RESOLVENDO O PROBLEMA

NO LINUX MINT 18 (SARAH)

Depois de instalar o Packet Tracer no caminho padrão:

/opt/pt/

tenho que editar o arquivo:

/etc/apt/sources.list

adicionando a linha:

deb http://security.ubuntu.com/ubuntu trusty-security main

Logo depois executar os comandos:

sudo apt-get update
sudo apt-get install libicu52

ou

wget http://mirrors.kernel.org/ubuntu/pool/main/i/icu/libicu52_52.1-3ubuntu0.8_amd64.deb
sudo dpkg -i libicu52_52.1-3ubuntu0.8_amd64.deb

E por último reiniciar meu computador.

NO LINUX MINT 19(TARA)

Tenho que fazer o procedimento acima e também Instalar o Qt libraries:

sudo apt-get install libqt5webkit5 libqt5multimediawidgets5 libqt5svg5 libqt5script5 libqt5scripttools5 libqt5sql5

Instalar o libpng12:

wget http://ftp.debian.org/debian/pool/main/libp/libpng/libpng12-0_1.2.50-2+deb8u3_amd64.deb
sudo dpkg -i libpng12-0_1.2.50-2+deb8u3_amd64.deb

E por último reiniciar meu computador.

REFERÊNCIAS:

 

Ferramentas básicas utilizadas no Linux

Essa é a lista dos comando que eu utilizo no dia-a-dia para trabalhar com Linux e BSD. Se eu sentir a necessidade, posso criar um post específico para tratar somente sobre um comando ou o comando de um aplicativo.

Essa lista vai crescer à medida que eu for aprendendo novos comandos/aplicativos e suas funções.


whoami – Mostra em qual usuário você está logado.

arthu-linux / # whoami
root

sudo – Executar comando com permissões de outros usuário.

arthu-linux ~ $ sudo -u joca ifconfig

-u  -> Estou especificando que quero utilizar as permissões do usuário joca;

Vou executar o comando ifconfig com as permissões do usuário joca.


tail – Mostrar as últimas partes de um arquivo.

arthu@arthu-linux ~ $ tail -f /var/log/syslog

-f  -> Mostra as últimas linha adicionadas ao arquivo em tempo real.

O comando tail serve para mostrar as últimas partes de um arquivo. Por padrão ele exibe as últimas 10 linhas.

Fazendo teste eu percebi que ele não serve para você acompanhar arquivos normais como um arquivo.txt.


ps – informações sobre os processos

arthu@arthu-linux ~ $ ps aux

aux   Mostra todos os processo executando no computador.

Mostra informações sobre os processos que estão executando na máquina. Diferente do top, ele não recarrega as informações da tela.


killall – Matar todos os processos com um determinado  nome.

arthu@arthu-linux ~ $ killall nome_do_processo

cat –  Exibir o conteúdo de um documento sem precisar abri-lo.

arthu@arthu-linux ~ $ cat php.ini

grep – Filtrar resultados

arthu@arthu-linux ~ $ cat php.ini | grep -n error_log

-n  -> Vai mostrar a linha do comento onde ele encontrou o padrão especificado
error_log  -> É o texto pelo qual estou filtrando a saída do comando CAT.


cp – Copiar arquivos

arthu@arthu-linux ~ $ cp /home/arthu/Downloads/foto-gatinho.jpg /home/arthu/Imagens/

-rf  -> Caso acontece algum erro você pode usar esses parâmetros para forçar a cópia (f) recursivamente (r).


tree – Mostrar a estrutura do diretório em árvore

arthu@arthu-linux ~ $ tree -a

-a  -> Todos os arquivos são impressos. Por padrão, a árvore não imprime arquivos ocultos (aqueles que começam com um ponto . )


cp e vm – renomear arquivo

arthu@arthu-linux ~ # cp teste.html teste.php

cp  -> O que na realidade você está fazendo é gerar uma cópia do arquivo com um nome diferente.

arthu@arthu-linux ~ # mv teste.html teste.php

mv -> Ele criará o novo arquivo teste.php e excluirá o teste.html


scp – Copiar arquivos para um diretório remoto

arthu@arthu-linux ~ # scp -r /home/arthu/teste root@192.168.1.3:/var/www/html/

-r  -> Especificando recursividade na cópia. Ele vai copiar todos os arquivos contidos na pasta de origem.

/home/arthu/teste  -> Pasta/arquivo de origem.

:/var/www/html     -> Pasta de destino


Informações sobre Distribuição e Kernel

arthu@arthu-linux ~ $ cat /etc/*-release
DISTRIB_ID=LinuxMint
DISTRIB_RELEASE=19
DISTRIB_CODENAME=tara
DISTRIB_DESCRIPTION="Linux Mint 19 Tara"
NAME="Linux Mint"
VERSION="19 (Tara)"
ID=linuxmint
ID_LIKE=ubuntu
PRETTY_NAME="Linux Mint 19"
VERSION_ID="19"
HOME_URL="https://www.linuxmint.com/"
SUPPORT_URL="https://forums.ubuntu.com/"
BUG_REPORT_URL="http://linuxmint-troubleshooting-guide.readthedocs.io/en/latest/"
PRIVACY_POLICY_URL="https://www.linuxmint.com/"
VERSION_CODENAME=tara
UBUNTU_CODENAME=bionic

 

arthu@arthu-linux ~ $ uname -a
Linux arthu-linux 4.15.0-33-generic #36-Ubuntu SMP Wed Aug 15 16:00:05 UTC 2018 x86_64 x86_64 x86_64 GNU/Linux
arthu@arthu-linux ~ $ cat /proc/version
Linux version 4.15.0-33-generic (buildd@lcy01-amd64-024) (gcc version 7.3.0 (Ubuntu 7.3.0-16ubuntu3)) #36-Ubuntu SMP Wed Aug 15 16:00:05 UTC 2018

dmidecode – Mostrar a informações sobre o hardware e software da máquina

arthu@arthu-linux ~ $ dmidecode -t 1

-t  -> Este parâmetro especifica um filtro por type, o número seguinte é argumento do type que você quer ver. Para mais informações de tipos veja o manual do aplicativo.

 


history – Exibe os últimos comandos executados no terminal.

arthu@arthu-linux ~ $ history

MTR – Ferramenta gráfica/terminal para teste utilizando o traceroute

arthu@arthu-linux ~ $ mtr google.com